Vereador André Santos participa da assinatura de protocolos para reabertura das academias e escritórios em São Paulo

Entidades ligadas a academias e escritórios de serviços assinaram termo de compromisso com a Prefeitura e voltam a funcionar na capital a partir de segunda-feira (13)

O vereador André Santos esteve com o prefeito Bruno Covas, na Prefeitura de São Paulo, nesta sexta-feira (10), assinando o termo de compromisso com quatro entidades do setor de academias. Outras seis entidades de diversos setores como comunicação, coworking e energia solar, por exemplo, aderiram ao protocolo já existente de escritórios de serviços.


A liberação gradual da reabertura de diversas atividades na capital está sendo realizada de acordo com o Plano São Paulo do Governo do Estado e as orientações da área da saúde, para a retomada segura da economia e a geração de renda de centenas de pessoas que não estavam conseguindo exercer suas atividades, por conta da pandemia de covid-1.


“Este grande passo impactará, além dos setores envolvidos, outras milhares de pessoas indiretamente. Estamos acompanhando de perto todos os movimentos para a retomada das atividades econômicas, contudo, zelando em garantir a proteção da saúde dos cidadãos paulistanos.”

declarou o vereador André Santos.


As academias passam a contar com um protocolo específico para o setor, que será publicado neste sábado (11) no Diário Oficial do Município. Esses locais deverão funcionar durante o período limite de seis horas diárias, com 30% da capacidade e horários agendados pelos clientes. O funcionamento acontecerá da mesma forma aos sábados e domingos.


“O setor de academias estava previsto para a fase 4, mas o Governo do Estado o antecipou com muito mais regras do que o previsto inicialmente”,

afirmou o Prefeito Bruno Covas.


Já as entidades que assinaram o termo de escritórios aderiram ao protocolo da portaria 605 do município de São Paulo, publicada em 5 de junho de 2020.

Confira as orientações que cada setor deverá seguir:

Academias

  • Os estabelecimentos deverão manter a ocupação do espaço para 30% de sua capacidade máxima enquanto a cidade estiver na classificação amarela do Plano São Paulo e 50% na fase verde.
  • Não será permitido nenhum tipo de aglomeração no espaço. A recepção deverá ser isolada com área de proteção demarcada com fita zebrada em 1,5 metro.
  • As salas de treino de peso livre e nas salas de atividades coletivas deverão ser delimitadas de maneira que cada cliente fique a 2 metros de distância um um do outro.
  • Só poderão ser utilizados apenas 50% dos aparelhos de cardio, deixando o espaçamento de um equipamento sem uso para o outro.
  • Está proibida qualquer forma de luta e contato físico durante o treino,
    mesmo que seja para orientação.
  • As piscinas devem ser divididas por turmas, com separação por raias, de acordo com o nível de aprendizagem dos alunos.
  • Para reduzir o número de pessoas, recomenda-se diminuir
    também a duração das aulas.
  • Nas quadras não será permitida a entrada de acompanhantes ou atletas fora do horário dos seus jogos.
  • As aulas deverão ser individuais e o recolhimento das bolas deverá ser feita por uma única pessoa, seja ela professor, funcionário ou aluno responsável.
  • Saunas, banhos turcos,solários, hidromassagem, jacuzzi e similares não estão autorizadas a funcionar e devem permanecer fechadas.
  • Enquanto vigorar o Plano São Paulo, os estabelecimentos só poderão receber clientes por no máximo seis horas diárias com agendamento prévio.
  • Os clientes que fazem parte do grupo de risco deverão ter seus planos congelados enquanto não podem frequentar os equipamentos desportivos.

Escritórios de prestação de serviços

  • Caso o distanciamento social não seja viável, é fundamental a instalação de barreiras e divisórias transparentes entre funcionários e colaboradores.
  • É indicado que o atendimento seja feito de forma agendada em um local preparado para a higienização ao término do contato com
    o cliente.
  • Esses deverão ser agendados, priorizando sempre a prestação de serviço à distância, sempre que possível.
  • A permanência de clientes no escritório deve ser pelo menos 80% menor do que a média da rotina normal, no caso da cidade se encontrar na classificação laranja do Plano São Paulo, 60%
    se estiver na classificação amarela e 40% se estiver na classificação verde.
  • As empresas deverão estabelecer um cronograma de funcionamento diferenciado, visando horários alternativos de abertura e fechamento do escritório que não coincida com os horários de pico do transporte público.
  • O atendimento ao público pode ser de, no máximo, quatro horas
    se a cidade se encontrar na classificação laranja do Plano São Paulo, no máximo seis horas se estiver na classificação amarela e horário livre caso se encontre na classificação verde.

Fonte: ASCOM Prefeitura de SP
Atualização/Adaptação: Ingrid Fausto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp
Gabinete Online